Procrastinação… depois eu faço

Por

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter

Existem pessoas que quando precisam cumprir algum prazo de trabalho ou escolar tendem a deixar toda a atividade para as vésperas da entrega! Geralmente se distraem com atividades de lazer ou pouco importantes para o momento. Isso se chama PROCRASTINAÇÃO, que pode ser definida como tomar a decisão de não fazer algo mesmo se sabendo que a longo prazo isso será pior.

Essa mania de deixar tudo para a última hora, é um problema bastante comum, que pode comprometer a educação e ocasionar no abandono escolar/acadêmico além de ocasionar ansiedade e depressão. E o contraditório nisso é que a procrastinação é acionada para aliviar a ansiedade inicial .

A procrastinação é mais comum nos adultos jovens, mais impulsivos e perfeccionistas e que temem o fracasso e o julgamento dos outros. Portanto, o comportamento de deixar as atividades para depois não tem a ver com a falta de tempo, mas com a dificuldade em lidar com emoções negativas.

O Psicólogo canadense Tim Pychlyl, da Universidade de Carleton, que estuda o assunto há mais de 20 anos, dá algumas dicas de como reduzir a procrastinação:

1) Pratique técnicas de “mindfulness” e meditação para controlar os pensamentos negativos
“Usando técnicas de mindfulness, consciência plena (ou atenção plena), podemos perceber que não queremos fazer algo sem julgar esse sentimento. Isso nos ajuda a perceber que a tarefa deve ser realizada e começá-la, depois, quando avançamos na tarefa, nos sentimos melhor e isso faz com que seja mais fácil continuar”.

2) Divida tarefa em passos claros e controláveis
Uma das razões de adiarmos o que devemos fazer é que as metas a que nos propomos são em geral grandes e vagas – o que as faz intimadoras e desagradáveis. Assim, em vez de se propor a “entrar em forma” ou “escrever um romance”, tente metas como “colocar o traje de exercícios” ou “decidir o nome do personagem principal”.

3) Não se castigue por procrastinar
As pessoas que se perdoam por procrastinar tendem a não repeti-lo em sua próxima tarefa.

4) Apoie-se em bons hábitos que você já tem
Pychyl dá um exemplo corriqueiro: ele finalmente conseguiu obedecer a recomendação de seu dentista de usar fio dental ao combinar a tarefa com o hábito de escovar os dentes. Ele se comprometeu a primeiro passar o fio dental todas as vezes que ia escovar os dentes. Em pouco tempo passou a fazer a tarefa sem pensar sobre ela.

5) Pense no ‘eu futuro’
Em uma experiência, um grupo de pessoas foi apresentado a retratos delas mesmas envelhecidas eletronicamente. Muitos passaram a reservar mais dinheiro para a aposentadoria, pois passaram a sentir um laço mais forte com seu “eu futuro”.

6) Entenda a importância do que deve ser feito
Pychyl diz que a procrastinação frequentemente reflete um problema existencial mais profundo de falta de identidade ou direção na vida. Procrastinamos quando a tarefa parece tediosa ou menos significativa. Assim, é preciso não esquecer a razão porque se está realizando a tarefa e como ela se encaixa em suas ambições. É simples como lembrar que fazer um trabalho ajudará a conseguir um diploma, que é indispensável para o sonho de ser doutor.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter
Fechar Menu