Pensamentos Sabotadores da Dieta

Por

Compartilhe

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter

Já pode ter acontecido com você. Não perceber que comeu, perder a comida dentro de casa quando na verdade já terminou, devorar um pacote de bolachas ou uma barra de chocolate sem nem sentir o gosto, comer fazendo outras coisas (arrumando a casa, mexendo no celular, olhando TV) e por aí vai. É como se isso acontecesse “automaticamente”, mas na verdade não é, porque comer nunca é automático. A digestão é automática, por exemplo, mas comer não. Antes de comer sempre há um pensamento, o que acontece é que esse pensamento não é plenamente consciente. O pensamento pode ser simples, como “Eu vou comer isso”.

É preciso perceber esses pensamentos para identificar os sabotadores de dieta. Alguns exemplos:

  • Estou chateado, tenho que comer!
  • Estou cansado, tenho que comer!
  • Estou estressado, mereço comer!
  • Estou feliz, vamos comer!?
  • Estou com sono, tenho que comer!
  • Trabalhei demais, mereço comer!
  • É final de semana, o que vou/vamos comer?
  • É uma festa, não consigo me controlar!
  • Vou comemorar, preciso comer/beber!
  • Não tem importância se eu comer (essa comida não planejada), porque…
  • Talvez eu perca o controle e coma demais na festa…
  • Acabei de trapacear na dieta. Estraguei tudo. Hoje vou continuar comendo tudo o que quiser e recomeço amanhã (ou segunda-feira)!
  • Sou uma pessoa muito fraca com relação à comida e à dieta.

Esses pensamentos que fazem as pessoas se permitir comer alguma coisa não planejada resulta em desvios da dieta ou abandono por completo do tratamento. Reconhecer esses pensamentos sabotadores é o primeiro passo para a mudança, para conseguir uma nova e correta maneira de pensar.

Mudar comportamento leva tempo e exige persistência e dedicação. Reeducação alimentar nada mais é do que mudança comportamental. Se fosse simples, todos teriam um peso adequado.

A relação que as pessoas desenvolvem com a comida precisa ser repensada. Com a rotina atual da população, comer se tornou um refúgio e desculpa para qualquer desgaste, cansaço ou inconveniente. E ainda se tornou a única forma de prazer e satisfação rápida. Isso acontece porque comer realmente dá prazer, isso é fisiológico, há produção hormonal que faz com que haja sensação de prazer imediato. O problema é que isso tem um efeito rebote e se perde o controle.

É preciso criar, às vezes até descobrir, e se permitir fazer as coisas que gostamos. Assim, gradualmente, procuraremos menos a comida como forma de recompensa.

E você?

O que gosta de fazer?

Você tem se permitido?

Compartilhe

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Fechar Menu