Close

Reeducação alimentar x Dietas Restritivas

Por Alice Bayer Monteiro

REEDUCAÇÃO ALIMENTAR é a expressão utilizada para indicar uma mudança de hábitos alimentares que visam melhorar a qualidade da alimentação. Pode estar associada às dietas de redução de peso, mas não é uma regra. Atualmente usa-se muito a palavra DIETA como forma de indicar um método de emagrecimento, mas na verdade é o termo correto para caracterizar os hábitos alimentares individuais, sejam eles certos ou errados.

O objetivo principal é mudar os hábitos com calma, para ir se acostumando com uma nova rotina alimentar, trazendo mais chances dessas modificações se tornem definitivas. Esse método respeita a rotina e cultura individuais, evitando o efeito sanfona. Uma reeducação alimentar é mais fácil de realizar do que uma dieta rápida de redução de peso, que visa emagrecimento sem preocupação com a qualidade da alimentação e pode ter uma inadequada ingestão de nutrientes.

Dietas muito restritivas em calorias podem trazer prejuízo à saúde, pois nem sempre conseguem atingir as necessidades básicas de vitaminas, minerais e fibras. Em longo prazo pode ser prejudicial, pois a carência desses nutrientes geram sintomas desconfortáveis e patologias por deficiência nutricional. Alguns sinais e sintomas que podem estar relacionados com essas carências são: irritação, ansiedade, vontade de comer doces, enfraquecimento da pele, cabelo e unhas, dor e fraqueza muscular, cegueira noturna, alterações no funcionamento da tireoide, anemia, osteoporose, alterações intestinais, renais, cardíacas e paralisia.

Quando o objetivo é emagrecimento o ideal é realizar uma dieta com restrição calórica através de uma reeducação alimentar. Se o indivíduo apresentar sobrepeso ou obesidade e realizar uma reeducação alimentar, naturalmente a consequência será a redução gradual de peso. Uma das limitações da reeducação alimentar é justamente a urgência que as pessoas têm de emagrecer. Se a alimentação do paciente for errada e aos poucos ele for modificando alguns hábitos, a consequência será o emagrecimento, porém de maneira mais lenta. Uma dieta mais restrita em calorias e com qualidade nutricional pode ser feita por um nutricionista, mas nesses casos é necessário modificar mais hábitos juntos, o que acaba “ferindo” um pouco o princípio da reeducação. O risco é a desistência do tratamento sem conseguir a modificação de hábito.


Como fazer a reeducação alimentar?

Para ter qualidade da dieta é preciso ingerir todos os grupos alimentares: carboidratos, proteínas e gorduras, priorizando boas fontes desses alimentos para alcançar as necessidades de vitaminas e minerais e promover maior sensação de saciedade. Caprichar na ingestão de vegetais, legumes, frutas e água. Quando o objetivo é também emagrecimento é necessária a ingestão adequada de calorias sem restrições severas e praticar exercício físico para viver com saúde.

Boas fontes de nutrientes:

CARBOIDRATOS: arroz integral, pão 100% integral, aveia, linhaça, chia, quinoa, granola sem açúcar.

PROTEÍNAS: sempre magras. Até três vezes na semana carne vermelha e demais peito de frango, ovos e peixe.

GORDURAS: azeite de oliva extra virgem, oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas), abacate. Reduzir óleos vegetais como soja, milho, canola e para o preparo da comida óleo de coco ou manteiga.

VEGETAIS, LEGUMES E FRUTAS: os mais variados.

ÁGUA: antes de sentir sede.


É importantíssimo o acompanhamento de um profissional para se alimentar com qualidade. Por mais que as pessoas busquem informação, porque hoje a mídia tem falado cada vez mais sobre isso, qualquer pessoa escreve o que quiser na internet, em revistas ou jornais, sem embasamento científico, e isso pode confundir, ao invés de ajudar. Nutrição não é receita de bolo! Não é igual para todas as pessoas! Existem recomendações gerais, mas isso não é o ideal para muitos. Em diversos casos é preciso avaliar patologias, funcionamento intestinal, interações entre vitaminas e minerais, medicamentos em uso, dificuldade de digestão de alguns nutrientesalimentos. Deve ser considerado também as variáveis de objetivo (redução ou ganho de peso, ganho de massa muscular, fortalecimento de cabelos e unhas, cuidados preventivos com envelhecimento precoce, desempenho esportivo, por exemplo). Você é único, trate-se como tal!