Close

“Sofri um assalto. E agora? Tenho um trauma?”

Entenda um pouco mais sobre o Transtorno de Estresse Pós Traumático

Por Rossana Andriola



A violência tem se tornado um assunto corriqueiro em nossa sociedade. Assaltos, sequestros, homicídios e até atentados terroristas movimentam as conversas pelo mundo inteiro. Notícias desta espécie acabam se tornando até banais, tamanha a violência que se tem sofrido. Por mais corriqueira que possa parecer a violência, todo o indivíduo que passa por um momento deste pode apresentar um intenso medo, seguidos de reações de choque e pavor. Entretanto além do terror vivido pela pessoa no ato da violência, este pode acabar se transformando em um trauma, no qual alguns sintomas psicológicos disfuncionais se manifestam.

Dentre os transtornos relacionados a trauma e estressores, está o Transtorno de Estresse Pós Traumático (DSM V). Para se obter este diagnóstico o indivíduo pode ter vivenciado, testemunhado ou saber que um amigo próximo ou parente vivenciou um evento traumático. Após esta exposição, iniciam-se sintomas persistentes, tais como: lembranças intrusivas e repetitivas angustiantes sobre o evento, sonhos recorrentes sobre o mesmo, reações dissociativas (p.ex. flashback do evento), sofrimento psicológico intenso quando exposto a sinais que simbolizam ou se assemelham à situação traumática. A partir destes sintomas, o sujeito faz evitações em relação a qualquer fato que lembre o trauma, podendo haver também incapacidade para recordar um aspecto importante da situação sofrida. A presença de crenças e humor negativos também podem ocorrer causando um grande prejuízo na funcionalidade do indivíduo.

A Terapia Cognitivo Comportamental possui protocolos eficientes para o tratamento deste transtorno, sendo uma abordagem amplamente utilizada nestes casos. Se você sofreu alguma situação traumática e apresenta alguns destes sintomas descritos, faça uma avaliação e se beneficie de um tratamento psicológico o quanto antes.