Close

O tempo urge!!

Como se dá a nossa percepção temporal

Por Rossana Andriola

Em uma época marcada pela ansiedade nossa percepção temporal está cada vez mais acelerada. O ano de 2016 já passou faz mais de 6 meses e ainda estamos nos ambientando com 2017 que já já se vai embora. Mas o que faz com que tenhamos uma percepção de tempo maior ou menor? O tempo é algo mais complexo do que os minutos que correm no relógio. É como o percebemos que faz com que nos sintamos vivendo um momento plenamente ou deixando os minutos escorregarem por entre nossos dedos.

O fato é que nosso tempo mental (isto é, a percepção que temos de tempo) tem parâmetros associados com nossas emoções, nossos sentidos e até o quanto de esforço estamos impetrando em determinada tarefa. Quando estamos diante de uma emoção muito intensa seja ela positiva, como o nascimento de um filho ou negativa, como um sequestro, a percepção de tempo muda. Poucos minutos parecem uma eternidade, a sensação é de que a situação está ocorrendo em slow motion. O contrário também é verdade, quando estamos em uma situação corriqueira de nosso dia seja jogando candy crash ou fazendo aquele relatório diário no trabalho, o tempo parece que voa.

Bom, se nossa percepção temporal é associada a outros fatores, então há uma grande notícia para os que sentem que o tempo está correndo. Podemos manipular nosso tempo mental! Quando estamos diante de tarefas cotidianas não sentimos nosso tempo passar pois estamos fazendo um processamento cognitivo automático, não estamos exigindo muito de nosso cérebro. É por isso que horas no computador ou jogando um game parecem que passam em segundos, o cérebro está em um automatismo que faz com que a sensação de tempo se esvaia. No mesmo sentido, quando viajamos parecem que 48 horas ficam enormes, pois estamos conhecendo lugares novos o que faz com que nosso cérebro tenha que se manter mais atento, processando as novidades de uma maneira em que você percebe o tempo de uma forma mais intensa.

Quando adicionamos fatos novos, temos emoções e cognições decorrentes do mesmo, que fazem com que sintamos o momento de forma mais vívida. Logo, adicionar um fato diferente a uma obrigação do dia a dia faz com que ela se torne mais significativa temporalmente, e consequentemente adiciona um tempo em sua vida. Focalizar sua atenção em algo diferente mesmo em uma tarefa completamente rotineira também pode ser uma forma de manipular nosso tempo mental. Como olhar para as árvores da rua no caminho para casa (supondo que você não está de carro) ou tomar café olhando para o movimento da rua. Você pode fazer com que sua percepção de que o dia passou e você não notou se modifique e, com isso, sinta que está aproveitando sua vida de uma forma mais significativa.



Fonte: Claudia Hammond (2013). Time Warped: Unlocking the Mysteries of Time Perception