Setembro Amarelo

Por

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) o suicídio está entre as dez principais causas de óbito no mundo, sendo a segunda maior causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos. Cabe salientar que em TODAS as faixas etárias o suicídio pode estar presente como desfecho trágico do sofrimento humano. Estes dados não incluem as tentativas de suicídio, as quais são estimadas como VINTE vezes mais frequentes que o ato consumado. Além disto, estudos mostram que para cada óbito por suicídio há, no mínimo, 5 ou 6 pessoas próximas ao falecido cujas vidas são profundamente afetadas emocional, social e economicamente.

Portanto, o problema é complexo e merece atenção multissetorial para que possa ser prevenido. O primeiro passo para abordar o tema é trabalhar com psicoeducação da população geral, ou seja, é preciso informação sobre a existência de transtornos mentais que levam os indivíduos a dar fim à própria vida. Assim, o movimento Setembro Amarelo surgiu com a proposta de discussão, conscientização e desenvolvimento e estratégias de combate ao suicídio, uma vez que dados científicos provam que a maior parte dos casos podem ser prevenidos.

Há quatro anos uma ação publicitária genial conseguiu redução de 85% na taxa de suicídio em uma cidade da Coréia do Sul. Com frases de suporte, apoio e desenvolvimento da esperança foi possível frear o impulso e combater diversas mortes. Isso mostra que movimentos sociais, preferencialmente aliados ao acompanhamento especializado, podem salvar vidas.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter
Fechar Menu